E se o nascimento não começar entre 40 e 41 semanas?

A 40ª semana de gravidez é o último passo para um milagre! Embora todo o caminho para o nascimento de uma criança já tenha sido concluído, o evento mais importante pela frente é o parto. As gestantes estão em um estado de medo tremendo do desconhecido, antes de tudo isso, é claro, se aplica às mães para quem esta é a primeira gravidez. Agora é a etapa final: o corpo da mulher está se preparando para o parto e a criança está se preparando para este evento.

Feto com 40 semanas de gestação: movimento

Ele também está se preparando. Não há nada a dizer sobre a aparência: tudo se formou e tomou seu lugar, o excesso desapareceu, o desaparecimento apareceu - o bebê é impecável. O crescimento do bebê em 40 semanas é uma média de 51,2 cm, o peso atinge 3,5 kg. As bochechas são gordinhas, a pele é lisa, as orelhas, os olhos, o nariz são bonitos. Você está prestes a conhecê-lo!

O bebê não pode mais se mover ativamente, mas você ainda deve sentir os movimentos. Além disso, seus movimentos são muito óbvios: praticamente não resta espaço no útero; portanto, você sente muito bem as migalhas.

Certifique-se de ouvir a atividade motora do bebê: qualquer alteração na natureza e intensidade dos movimentos na direção da atenuação ou, inversamente, atividade excessiva, se torna um sinal da disfunção testada das migalhas do bebê.

Em geral, a norma por um período de 40 semanas é considerada cerca de 10 movimentos perceptíveis em 12 horas. No caso de o bebê se debater muito mais ativamente, há todos os motivos para suspeitar que ele sofra de falta de oxigênio. Um mau sinal será a calma do bebê, a falta de movimento. Se estiverem ausentes, informe o seu médico sobre isso.

Isso é normal?

A data estimada de nascimento (DA) existe na prática obstétrica, a fim de aproximar o momento da conclusão da gestação. É um cálculo baseado na data da última menstruação. De acordo com a prática estabelecida, os obstetras tiram três meses dela e acrescentam uma semana - isso fornece uma data aproximada em que o bebê deve nascer.

Portanto, também é assumido que não é 100% exato. A ovulação em uma mulher pode demorar, chegar mais tarde e, em seguida, o bebê pode nascer por uma semana, ou até duas depois. Além disso, muitos fatores maternos e infantis devem coincidir para o início do trabalho de parto.

O trabalho regular começa quando os organismos da futura mãe e bebê estão completamente prontos para esse processo. O fundo hormonal deve ser favorável, o útero deve estar preparado, o pescoço deve amolecer, a criança deve estar suficientemente madura para nascer com segurança. Este é um processo tão complexo, multiestágio e individual que é impossível avaliar e calculá-lo com quaisquer fórmulas obstétricas e cálculos matemáticos.

De acordo com as estatísticas médicas existentes sobre o período de início do trabalho de reflexo espontâneo, exatamente apenas 5% das mulheres dão à luz no DA. Isso significa que apenas cerca de vinte mulheres grávidas podem dar à luz exatamente 40 semanas de gravidez, e isso não é tanto. A maioria dos nascimentos fisiológicos ocorre na semana anterior - 39-40 semanas. Cerca de 35% das crianças nascem entre 40 e 41 semanas, cerca de 10% - após 41 semanas.

Portanto, o parto na semana seguinte à DA não é considerado incomum ou anormal. A gravidez entre 40 e 41 semanas não é considerada adiada - os médicos não veem nada de perturbador pelo fato de terem passado 40 semanas e o parto ainda não ter começado. Só que ainda não chegou a hora. Eles começam a falar em substituir se a gravidez durar mais de 42 semanas.

Deve-se notar que o parto de um bebê de 40 a 42 semanas é mais provável se o primeiro nascimento ocorrer. Em uma segunda gravidez e bebês subsequentes, eles geralmente nascem mais cedo que a DA. Além disso, é improvável que mulheres com gravidez múltipla, poli-hídrnio, atinjam 41 semanas.

Se chegou a hora de dar à luz e o parto não começa de maneira alguma, o principal é não se preocupar e não entrar em pânico, para não prejudicar o bebê e a si mesmo. O que está acontecendo é uma variante da norma; não há desvios nesse fenômeno.

Precursores e sua ausência

A maioria das mulheres com 41 semanas de gestação está assustada com a situação em que não há precursores do parto. Do ponto de vista da fisiologia, tal situação é completamente impossível. O corpo da mulher grávida está se preparando ativamente para esse período, mas às vezes essa preparação passa despercebida, especialmente se a mulher não for muito sensível.

As mulheres grávidas nem sempre estão atentas aos sinais do corpo e, às vezes, simplesmente não imaginam o que deveriam ser; portanto, concluem que sinais e sintomas de parto prematuro simplesmente não ocorrem.

De fato, algumas mulheres têm uma sensibilidade tão baixa do sistema nervoso que marcadores específicos de saúde antes do parto podem ser percebidos por elas de certa forma suavizados, quase imperceptivelmente. Além disso, é possível que realmente haja razões para a falta de manifestações externas de uma grande preparação interna do corpo para o parto.

Os principais precursores e razões pelas quais eles podem não ser observados estão descritos abaixo.

Parto com 40 semanas de gestação: precursores

Portanto, não se preocupe se o parto ainda não começou - certamente acontecerá nos próximos dias. E você aprenderá sobre a abordagem do parto graças à presença de seus precursores claros. O que lhe dirá sobre a abordagem da preciosa “Hora X”?

Um dos precursores ambíguos do parto é baixar o abdome: o bebê no útero desce, pressionando a cabeça no fundo e preparando-se para uma jornada divertida para o novo mundo. Você observa isso como uma certa diminuição do abdômen, devido à qual sua respiração é visivelmente mais fácil, a azia desaparece. Mas, ao mesmo tempo, afundando no útero, o bebê começa a pressionar a bexiga - daí o aumento da necessidade de micção.

Juntamente com visitas frequentes ao banheiro para fazer xixi, pouco antes do nascimento, você pode encontrar um distúrbio alimentar, que também é considerado um dos precursores do parto. Perda de fezes, náuseas, vômitos - todos esses fenômenos desagradáveis ​​podem muito bem preceder o início do parto e aparecer cerca de 24 a 48 horas antes do início.

Pouco antes do início do trabalho de parto, você pode encontrar uma ligeira diminuição no apetite, às vezes não quer comer nada. No contexto da falta de apetite, também é possível alterar o peso: ele permanece fixo em uma designação ou mesmo diminui em 1-2 kg.

As últimas semanas de gravidez também são o momento do despertar em uma mulher do chamado "instinto de nidificação". De repente, a mulher grávida começa a equipar o apartamento, limpar e arrumar tudo, preparar o quarto do bebê. Você sentiu a necessidade de melhorar ainda mais o "ninho da família"? Aguarde o nascimento em breve.

E, no entanto, os precursores mais óbvios e distintos do parto são a perda de mucosas, a descarga de líquido amniótico e o aparecimento de contrações dolorosas regulares. Você reconhecerá o tampão mucoso pela presença na calcinha de um caroço denso de muco espesso, possivelmente com estrias, estrias de sangue. Durante todo o período da gravidez, o tampão mucoso fechou o colo do útero, impedindo que infecções e vírus chegassem ao bebê. Agora a cortiça sai, liberando o canal de nascimento do bebê.

O fluxo de líquido amniótico também é difícil de perder: imediatamente antes do nascimento, as águas literalmente caem em um riacho, rastejando pelas pernas em filetes. Ao mesmo tempo, eles têm a aparência de um líquido aquoso, geralmente transparente, mas se as fezes originais de mecônio do bebê entrarem no líquido amniótico, a água pode adquirir um tom amarelado ou esverdeado.

E, é claro, contrações - regulares, cada vez mais frequentes, acompanhadas de sensações dolorosas, relatam o início do trabalho de parto. Muitas mulheres, especialmente as primíparas, têm medo de confundir falsas contrações com verdadeiras, principalmente porque as falsas contrações até o final da gravidez também têm um caráter doloroso e são repetidas com muito mais frequência do que antes. Para determinar com quais contrações você está lidando, basta alterar sua posição corporal durante as contrações. Levante-se, ande pela sala, sente-se em um banquinho. Se as contrações ao mesmo tempo pararem, o nascimento ainda terá que esperar.

Prolapso abdominal

O abdome muda um pouco de forma e localização, a altura do fundo uterino diminui devido ao fato de o bebê, em um determinado momento de seu desenvolvimento, antecipar o nascimento iminente, se mover para a parte inferior do útero, apoiar a faringe interna com a cabeça. Essa pressão também tem um efeito estimulante no colo do útero - começa a encurtar e suavizar mais rapidamente, a abrir um pouco.

Depois de abaixar o abdômen, uma mulher pode sentir algum alívio - não há mais pressão no diafragma, alguns órgãos internos são liberados e, como resultado, torna-se muito mais simples e fácil respirar, a azia é reduzida. No entanto, isso aumenta a pressão na bexiga - há uma necessidade frequente de esvaziá-lo. Uma mulher começa a visitar o banheiro por "pouca necessidade" com muita frequência.

Na maioria dos casos, nas primíparas, o abdômen cai 3-4 semanas antes do nascimento, naqueles que dão à luz novamente, em uma semana ou até vários dias. É possível que o bebê durante o nascimento repetido tome a posição de "início baixo" apenas com o início de dores de parto.

Entre 40 e 41 semanas, a maioria das mulheres tem esse sintoma, mas há exceções. Por exemplo com a posição pélvica do feto ou sua localização oblíqua na cavidade uterina, a omissão não ocorrecomo a parte atual não é a cabeça. O abdome não altera a forma e a altura do pé em mulheres com gêmeos, em mulheres com poli-hidrâmnio, bem como com certas características estruturais da pelve.

Barriga: puxa, dói

Na 40ª semana, o abdômen geralmente diminuiu, o bebê assumiu uma posição a partir da qual ele começará a avançar para uma reunião com a mãe e o pai. No entanto, se nenhuma alteração ocorreu no estômago, não se preocupe: em alguns casos, o estômago não desce até o início do trabalho de parto.

Não se assuste com dores abdominais - dores de puxar na parte inferior do abdômen, passando para a região lombar, indicam o início iminente do trabalho de parto. O bebê está agora "em um começo baixo" antes da saída, a cabeça pressiona os ossos pélvicos, a mulher tem uma carga colossal devido ao tremendo aumento de peso. Daí a sensação de um desenho, abdômen doloroso.

Perda de peso

Duas semanas antes do parto, as mulheres geralmente percebem que começaram a pesar 2 a 3 kg a menos. Muitos associam isso à excitação, ansiedade em antecipação ao processo de nascimento, e alguns estão convencidos de que o problema está no apetite prejudicado e na menor ingestão de alimentos.

De fato, isso perda de peso é um prenúncio real, o que sugere que o corpo está recebendo menos líquido intercelular. Suas reservas desaparecem à medida que os níveis de progesterona diminuem. Quanto menor o nível desse hormônio, mais rápido o nascimento começará. Além disso, o peso diminui devido a uma diminuição na quantidade de líquido amniótico.

O peso corporal pode não diminuir em mulheres com obesidade, com um pequeno peso fetal, de acordo com o ultrassom, com distúrbios endócrinos.

Tampão de muco

A saída do canal cervical do colo do útero do coágulo de leite ou cor amarelada (às vezes com manchas de sangue) é um sinal claro de um nascimento precoce. O pescoço se expande, amolece. O muco, que serviu de barreira contra micróbios e vírus, não pode ser mantido dentro e sai do canal cervical fino. Normalmente, a descarga ocorre no todo ou em partes duas semanas antes do nascimento durante a primeira gravidez e alguns dias antes do segundo nascimento (coágulos semelhantes a gelatina estarão presentes na descarga).

Deve-se ter em mente que a cortiça pode passar despercebida, por exemplo, ao tomar banho no banheiro ou durante o sexo. Além disso, a cortiça pode continuar a ser mantida em caso de maturação insuficiente do colo do útero.

É possível que não saia até o momento do trabalho ativo e depois saia com o líquido amniótico. Por esse motivo a ausência de alta característica não deve ser considerada a ausência de um sinal de aproximação do parto como tal.

Perguntas freqüentes nos fóruns

V .: Depois de 40 semanas de gravidez, hoje de manhã a dor é como com a menstruação. Posso dar à luz?

R.: Essas dores podem ser um sintoma anterior ao início do trabalho de parto. Observe sua condição, se houver sensações de cãibras que serão regulares e se tornarão mais frequentes ao longo do tempo, então vá com urgência ao hospital. Com os mesmos sintomas, brigas de treinamento também podem ocorrer.

V.: A semana 40 começou e ainda não há precursores do parto (segundo nascimento). Quando eu dou à luz?

R: Os precursores do parto na segunda gravidez podem aparecer vários dias antes do nascimento, ou até várias horas (todos muito individualmente). O segundo nascimento ocorre mais rapidamente, portanto, os precursores aparecem muito mais tarde.

V .: a água voltou, mas não há contrações (40 semanas). O que fazer

R.: A água geralmente sai várias horas antes do início do trabalho de parto, se falarmos sobre a vazão total da água. Se depois de várias horas as contrações não começarem, vá ao hospital, talvez seja necessário estimular o trabalho de parto. Além disso, em um período de 38 a 40 semanas, há vazamento de líquido amniótico quando eles saem em pequena quantidade. Isso acontece com frequência e não é algo assustador, mas o médico deve ser consultado para exame.

Maturidade Cervical

Os médicos prestarão atenção especial a esse sintoma em 40 a 41 semanas. Um pescoço é considerado maduro, cujo comprimento neste momento é de cerca de um ou menos de um centímetro. Deve ser suave ao longo de todo o comprimento, sua localização deve ser central.

Se um desvio do pescoço for detectado para a direita, esquerda, costas ou frente, ou ele amolecerá irregularmente ou permanecerá rígido, assim como se seu comprimento exceder 1,5 cm, a preparação de medicamentos para o pescoço será mostrada neste momento útero ao parto.

Outros sintomas

Os precursores, que consistem em uma diminuição da atividade do bebê, em insônia, diarréia e outros sinais bastante subjetivos, não podem indicar diretamente a abordagem do parto, portanto sua ausência não deve preocupar a gestante.

Sensações como puxar o cinto, formigar por dentro, dores nas costas que as mulheres mencionam em fóruns temáticos na Internet também não podem ser consideradas sinais diretos de nascimento iminente. Eles estão mais associados à fadiga, ao peso, porque 41 semanas é um período muito impressionante para o qual uma mulher grávida é muito difícil de andar.

Note-se que nem sempre a presença distinguível de precursores significa um nascimento precoce. Acontece também que, sem precursores claros, a mulher começa a dar à luz e tudo corre bem.

Peso, altura e condição do feto com 40 semanas de gestação

Com 40 semanas de gravidez, o peso do bebê varia de 3500-3700 gr. De comprimento, o bebê chegou a 55 cm e pesa com repolho grande!

A criança preenche todo o espaço do útero e, como resultado da falta de espaço, sua atividade é visivelmente reduzida. O bebê acumula força para o parto, portanto, a frequência de suas contrações cardíacas aumenta e os processos metabólicos no cérebro, pelo contrário, diminuem a velocidade.

O feto está completamente pronto para o nascimento, está localizado na posição mais adequada para o parto: a cabeça está na parte inferior - está firmemente pressionada nos ossos da pequena pélvis, o queixo está tocando o peito, as pernas dobradas nos joelhos estão pressionadas no corpo, o bebê está virado para as costas do útero: está em Nesta área, o tamanho da circunferência da cabeça é mínimo, o que garante um movimento fácil ao longo do canal do parto.

O crânio ainda não é sólido devido ao fato de as cinco placas ósseas principais serem separadas por fontanelas, para que possam ser deslocadas durante a passagem pelo canal do parto e evitar danos e traumas no sistema nervoso central durante o parto. Depois que o bebê nascer, as placas ósseas do crânio se abrirão novamente e a cabeça ficará redonda novamente.

40 semanas de gravidez - quanto?

40 semanas obstétricas são 10 meses lunares, 38 semanas desde a concepção - essa gravidez é considerada normal a termo. Se os termos forem alterados por duas semanas em uma direção ou outra, esse é um fenômeno completamente natural, pois nem sempre é possível prever a data exata do nascimento. Só é possível falar sobre a substituição quando o período de expectativa de uma criança é atrasado para 42 ou mais semanas, para que ainda haja tempo e, mesmo que não haja sinais de parto às 40 semanas de gestação, não há necessidade de ter medo.

Nota! O período de gestação pode durar se a mulher ficar em espera por 36 semanas com um tom uterino alto, e lhe foi prescrito o uso de magnésia, que relaxa os músculos lisos.

Em muitas mulheres, durante a gravidez às 40 semanas, a região lombar puxa, as mesmas sensações podem ser observadas na parte inferior do abdômen, que é muito semelhante à dor antes do início da menstruação. Quando a cabeça do bebê cai na pélvis, o canal do nascimento se abre gradualmente e logo o bebê há muito esperado nasce.

A proporção de semanas para meses de gravidez

Agora bebê em tamanho

Todos os seus sistemas e órgãos estão completamente prontos para o funcionamento independente fora do corpo da mãe. A cabeça da criança geralmente está localizada no abdômen muito inferior. A pele tem uma tonalidade rosa clara, mas pode parecer um pouco amarelada ou cianótica.

Os movimentos fetais não são muito ativos, porque resta muito pouco espaço livre. No entanto, o bebê se move com bastante regularidade, este é um indicador de sua condição normal.

Imediatamente após o nascimento de alguns recém-nascidos, a cabeça pode ter uma aparência ligeiramente deformada, mas subsequentemente assume uma forma normal.

Até que horas estamos?

Se a duração da gravidez aumentar em 10 a 14 dias ou mais, o médico verá dois fatores principais nisso. Em primeiro lugar ele perguntará: a data determinada para o parto é apropriada. Se durante toda a gravidez o período indicado corresponder ao tamanho do útero e à altura da parte inferior do útero, a data em que ocorreram os primeiros movimentos do feto grávida, a data em que o médico ouviu os primeiros batimentos do coração fetal, pode ter certeza da idade gestacional correta. Estudos mostram que em 70% dos casos, a declaração de gravidez está incorreta. Normalmente, isso se deve precisamente a um erro nos cálculos.

Em segundo lugar o especialista deve estabelecer se a criança continuará a se desenvolver corretamente - como, aliás, acontece com muitas crianças no décimo mês. No entanto, às vezes o ambiente dentro do útero, anteriormente ideal, começa a se deteriorar: não há quantidade correspondente de nutrientes e oxigênio, e há cada vez menos líquido amótico. E, em seguida, o desenvolvimento bem-sucedido do feto é comprometido.

Além disso, é muito importante distinguir entre gravidez verdadeira e falsa. Falso, ou prolongamento da gravidez, é caracterizado apenas por sua extensão por 10 a 14 dias. Não há sinais de imaturidade no feto e alterações na placenta. Gravidez prolongada é uma opção normal! Só que seu bebê ainda não "amadureceu".

Com a substituição verdadeira, o feto atinge um grau de desenvolvimento mais alto do que durante a gravidez normal e nasce com sinais de substituição. O ultrassom pode detectar uma diminuição na espessura da placenta, oligoidrâmnio relativo, tamanhos grandes do feto, contornos mais nítidos e espessamento dos ossos do crânio. Nesse caso, a mulher grávida perde peso, a circunferência do abdome diminui de 5 a 10 cm.

Razões para o parto tardio

Obviamente, uma mulher que carrega seu bebê há mais de 40 semanas está mais preocupada com o motivo disso estar acontecendo. De fato, diante de meus olhos há muitos exemplos - as mulheres dão à luz antes de 40 semanas e aqui nem mesmo os precursores são observados.

Pode haver algumas razões.

  • Biorritmo próprio do corpo feminino. Por via de regra, o parto posterior começa em mulheres que têm um ciclo menstrual mais longo (sua duração é superior a 30 dias).
  • Inatividade física. As mulheres que se movem pouco nas fases posteriores, tentam mentir mais ou sentam-se em repouso, têm maior probabilidade de sofrer um atraso no início do trabalho de parto. O fato é que o movimento adequado ajuda não apenas a preparar os músculos para o parto, mas também afeta positivamente a preparação do colo do útero para o início do processo de nascimento reflexo.
  • Fruta grande ou gigante. Grande é chamado de criança cujo peso, de acordo com estimativas preliminares do ultrassom, por 40 semanas excede 4 kg. Gigantes são considerados crianças que pesam cerca de 5 kg na mesma idade gestacional.
  • Fator psicológico. É ele quem deve receber uma importância especial. Às vezes acontece que uma mulher, sem se dar conta neste relatório claro, adia o momento do parto com seu próprio medo do parto, falta de vontade de sentir dor e, às vezes, até falta de vontade de dar à luz.

O parto pode demorar, se a gravidez for indesejada, a mulher estiver em uma situação psicológica difícil, por exemplo, enfrentando problemas financeiros significativos ou se divorciando do marido.

No nível físico, com as experiências descritas, ocorre um "bloqueio" muscular - a mulher está presa, tensa. O colo do útero, como resultado, não tem pressa de abrir. Os hormônios do estresse bloqueiam parcialmente os hormônios sexuais e a produção de ocitocina.

O que acontece com uma mulher grávida com 40 semanas de gestação?

Neste momento, a futura mãe deixa de aumentar de tamanho, ganhando 12-16 kg adicionais; ela manterá esse peso até o parto. O útero atinge seu pico às 40 semanas de gestação, a 36 a 40 cm da sínfise púbica e a 16 a 20 cm do umbigo.Uma mulher pode ocasionalmente sentir uma sensação de coceira, pois a pele do estômago está muito tensa, na quadragésima semana da gravidez o tampão mucoso parte e ocorrem contrações.

Durante 40 semanas, as mães têm duas questões preocupantes: por que o bebê ainda não nasceu e se ele decide nascer? Mas não há necessidade de se preocupar, a criança nascerá quando estiver pronta psicologicamente e fisiologicamente para isso.

Se uma mulher já está tendo um segundo nascimento, ela definitivamente será diferente da primeira na 40ª semana de gravidez. Ninguém preverá exatamente sua duração e, durante o segundo nascimento, a abertura do colo do útero ocorre muito mais rapidamente, pois o corpo já "passou" por ele. Também a esse respeito, o período de brigas é muito menor do que era a primeira vez.

Antecipando o início do parto, é necessário tentar manter a calma e não se incomodar com as pequenas coisas; é importante manter o bom humor na quadragésima semana de gravidez.

Quando as contrações começam, é necessário elaborar os métodos de respiração e relaxamento adequados, o corpo da futura mãe se prepara para esse momento há muito tempo e agora seu início ocorreu.

As glândulas mamárias de uma mulher grávida ficam totalmente preparadas para a próxima amamentação. O colostro é produzido - um fluido espesso, viscoso, amarelado e altamente nutritivo que fornecerá ao recém-nascido nas primeiras horas de sua vida todos os nutrientes necessários. Já em 2 - 4 dias o leite materno virá para substituir o colostro.

Agora é a hora de se preparar para o cuidado do recém-nascido, quando o bebê aparecer, você será uma mãe preparada. Uma descrição detalhada dos cuidados com o recém-nascido que apresentamos neste artigo.

Desenvolvimento fetal

Com 40 semanas de gravidez, o bebê já está totalmente pronto para o nascimento. A massa do feto é de 3-3,5 kg, o crescimento chega a 51-55 cm.A criança está em uma posição dobrada, de cabeça para baixo, joelhos pressionados contra o corpo. Agora ele fica muito cheio no útero, então ele se ativa com muito menos frequência. Por 12 horas, você pode sentir 10 movimentos. Se os tremores são sentidos com menos frequência, é necessário informar o médico sobre isso - um sinal semelhante pode ser um sinal de falta de oxigênio no feto.

Na 40ª semana de gravidez, os órgãos e sistemas internos do bebê estão bem desenvolvidos:

  • Um surfactante já se formou nos alvéolos pulmonares, o que ajudará os pulmões a se abrirem ao nascer e a respirar pela primeira vez.
  • Os ossos do crânio no feto permanecem macios e flexíveis - quando se movem através de um canal estreito de nascimento, eles podem entrar um no outro, pelo que será mais fácil para a criança nascer.
  • Os órgãos genitais já estão formados. Neste momento, os testículos nos meninos descem para o escroto.
  • A placenta está envelhecendo e afinando, sua espessura é de cerca de 34,4 mm. O órgão embrionário torna-se incapaz de cumprir suas funções atribuídas, e a criança pode experimentar a falta de oxigênio. Às vezes, os bebês nascem com a pele azulada e enrugada, mas não se preocupe muito - em alguns dias tudo voltará ao normal.
  • O sistema hematopoiético do feto é totalmente formado e funciona de forma independente.
  • Órgãos do sistema digestivo executam perfeitamente seu trabalho quando o bebê engole líquido amniótico. No intestino, o mecônio (fezes primordiais) se acumula, que sai no primeiro dia após o nascimento do bebê.
  • Na maioria das vezes, as crianças já tomaram a posição correta (cabeça), com a cabeça apontando para baixo. Se isso não acontecer, o médico deve decidir como o nascimento ocorrerá - por meios naturais ou por cesariana.
  • O lubrificante tipo queijo praticamente desapareceu, restando uma pequena quantidade apenas nas áreas mais sensíveis: nas axilas e na virilha.

Nota! A proteção imunológica do bebê ainda não amadureceu - agora o bebê recebe anticorpos através da placenta e, após o nascimento, as substâncias necessárias passam pelo leite materno durante a amamentação.

Mudanças no corpo de uma mulher

Quarenta semanas de gravidez na maioria dos casos é o período final da gestação, de modo que o corpo da futura mãe está quase pronto para o próximo parto. Agora, a condição de uma mulher pode ser descrita da seguinte forma:

  • O edema pode se tornar mais perceptível, com as pernas inchando ao máximo.
  • Muitas vezes, uma mulher grávida se queixa de dor nas costas na região lombar.
  • Vive cada vez mais pedregosa, ou seja, fica difícil por um tempo.
  • Na véspera do parto, algumas mulheres podem sentir insônia causada por pensamentos ansiosos sobre o futuro parto.
  • O osso púbico puxa e dói periodicamente, o que está associado a um aumento da pressão uterina na área pélvica.
  • A secreção branca é normal a qualquer momento e a secreção de sangue pode indicar que o parto ocorrerá muito em breve. O aparecimento de vestígios de sangue é devido à saída do tampão mucoso e ao início do trabalho de parto.
  • Há muito tempo que a barriga diminui, portanto sensações como azia ou falta de ar preocupam muito menos a mãe.
  • Muitos problemas e desconforto na véspera do parto podem causar hemorróidas na mulher, causando coceira intensa no ânus e acompanhada pelo aparecimento de nódulos.

Mãe e condição do bebê

As futuras mães que não iniciaram o parto no horário planejado também se preocupam com a condição da criança, porque todo mundo já ouviu falar dos perigos de ultrapassar. Mas, como já descobrimos, 40 e 41 semanas de gestação não são consideradas conseqüências, portanto, os riscos para o bebê não são tão grandes quanto parecem, a menos que, é claro, a gravidez tenha ocorrido sem complicações e a condição do bebê seja estável.

Enquanto a mãe espia ansiosamente o calendário e ouve a si mesma em busca de sintomas de um parto prematuro, o bebê no útero continua a ganhar peso. Às 40-41 semanas, pesa mais de 3,5 kg e alguns mais de 4 kg. O crescimento das crianças neste momento geralmente excede 52 cm.

Todos os órgãos e sistemas são desenvolvidos e funcionam. Uma quantidade suficiente de surfactante se acumulou nos pulmões - uma substância especial que os alvéolos produzem. Depois que o bebê respira pela primeira vez, é o surfactante que não permite que as vesículas alveolares grudem na expiração. Isso permitirá que o bebê respire livremente de forma independente desde os primeiros minutos após o nascimento.

Se isso acalmar a mãe, alguns dados pediátricos estão listados abaixo.

  • As crianças nascidas como resultado de uma gravidez prolongada até 41 semanas de gravidez têm imunidade mais forte e são menos propensas a adoecer. A placenta é antiga e não desempenha plenamente suas funções de barreira; portanto, o bebê nos últimos dias no útero recebe mais anticorpos maternos do que as crianças nascidas antes das 40 semanas.
  • Após o nascimento, em crianças que ganharam uma boa massa e uma quantidade suficiente de gordura subcutânea, os processos adaptativos prosseguem melhor e as situações patológicas do período neonatal precoce se desenvolvem com menos frequência.

A criança ficou apertada. Com 41 semanas, os movimentos são mínimos - eles são limitados apenas pela necessidade. Por esse motivo, você não deve ter medo de que o bebê se torne menos ativo. Se não houver sinais de hipóxia (que os médicos definitivamente verificarão em um período de gestação tão sólido), o bebê ficará bastante confortável e maravilhoso, o que não pode ser dito sobre sua mãe.

As mulheres na 41ª semana estão esgotadas: dói, dói, puxa quase constantemente e em quase todas as partes do corpo. A dor na articulação pubiana é mais freqüentemente perturbada. E é neste momento que as hemorróidas muitas vezes pioram.

Como há menos água, qualquer movimento do bebê é percebido e quase dolorido. Dormir de um lado fica enjoado e desagradável, e você não consegue dormir em outra posição - daí a perturbação do sono.

Adicionando problemas e treinando lutas - eles se intensificam naqueles que as experimentaram ao longo do terceiro trimestre e podem aparecer pela primeira vez em pessoas que nunca as sentiram antes.

Filhos "maduros"

O feto transferido geralmente nasce por cesariana. Isso é feito por vários motivos. Em primeiro lugar, as crianças que estão no útero há mais de 40 semanas têm uma grande circunferência da cabeça. Em segundo lugar, durante o parto, eles podem extrair as fezes originais. Terceiro, eles podem ter menos oxigênio e nutrientes.

Se foi estabelecido com precisão que 41 semanas de gravidez já foram concluídas e, durante o exame, observou-se que o colo do útero está maduro (macio), muitos médicos preferem estimular o nascimento. Alguns médicos esperam até 42 semanas. Observe que nenhuma das gestações durou para sempre. É verdade que algumas mulheres estão amamentando há 44 semanas, mas hoje, na maioria dos casos, o parto ocorre após 42 semanas.

As crianças “maduras” nascem magras, com pele seca, enrugada e descascada, sem uma camada de pomada de frutas, geralmente cobrindo a pele de um recém-nascido a termo. Comparados com outras crianças, eles têm unhas e cabelos mais longos, os olhos estão abertos e há muita atividade.

Após o parto, em 20 - 50% dos casos em crianças adiadas, são observados desvios do desenvolvimento normal. Quase metade dos recém-nascidos tem asfixia. Além disso, icterícia, crises hormonais, distúrbios neurológicos, diminuição das habilidades adaptativas, lesões cutâneas infecciosas são comuns.Um estudo de resultados a longo prazo sugere que as crianças após um parto tardio têm atraso no seu desenvolvimento. Mais tarde, começam a ficar de pé e a andar, os primeiros dentes surgem depois, depois começam a falar.

Sentimentos da mãe

Com 40 semanas de gestação, o estômago para de crescer e a mãe perde um pouco de peso. A criança afunda no assoalho pélvico, como resultado da qual a pressão no estômago e nos pulmões cessa - torna-se mais fácil para a mulher respirar e comer. Mas agora a cabeça pressiona o intestino e a bexiga; portanto, não se preocupe se as visitas ao banheiro se tornarem mais frequentes.

As alocações permanecem transparentes. Além disso, uma mulher grávida pode detectar o aparecimento de muco com estrias no sangue - é assim que a rolha de nascimento sai, protegendo o feto de infecções e microorganismos. Portanto, os requisitos de higiene devem ser cuidadosamente observados neste momento. Muitas mães estão interessadas: quando o nascimento começa às 40 semanas, se a cortiça é removida. De fato, o nódulo mucoso pode desaparecer 10 dias antes do "evento principal" e antes do nascimento. Em geral, o período de descarga da cortiça ao trabalho começa de 3 a 15 dias.

O líquido nutritivo é liberado pelos mamilos - colostro, após 4 dias, o leite da mãe será substituído. O amolecimento dos ossos e ligamentos ocorre, as contrações do treinamento se tornam ainda mais dolorosas e intensas - dessa maneira, o corpo se prepara para o próximo nascimento.

Com 40 semanas, tudo deve estar pronto para o parto.

Possíveis perigos com 40 semanas de gestação

Na véspera do parto, uma mulher e seu bebê podem estar em risco dos seguintes perigos:

  • Hipóxia do feto, que pode ser aguda, decorrente do aperto do pescoço do bebê com um cordão umbilical ou crônica, que pode ser causada por oligoidrâmnio, insuficiência placentária, vazamento de líquido amniótico e outros fatores. No primeiro caso, os médicos realizam uma cesariana de emergência para salvar o bebê ou causar o parto. Quando são detectados sinais de hipóxia crônica, os especialistas também têm uma pergunta sobre o estímulo ativo do trabalho de parto, porque a deficiência de oxigênio afeta negativamente o feto.
  • A gestose é uma condição que leva a complicações dos sistemas endócrino, cardiovascular e urinário. Se houver sintomas de gestose (pressão alta, proteínas na urina, etc.), o médico pode decidir estimular o nascimento. Para o tratamento, magnésia e outras drogas são usadas.

Ações dos médicos

Como a gravidez às 41 semanas não é considerada adiada, não devem ser esperadas ações ativas por parte dos médicos. Eles esperam, observam, monitoram a condição da mãe e do feto.

Se, nesse momento, eles oferecem estimulação medicamentosa e não explicam por que é tão urgentemente necessário, existe um motivo para pensar em mudar de médico ou de maternidade.

A indução do trabalho de parto apenas com base na aprovação da AD há alguns dias, não é considerada razoável e apropriada - isso se reflete nas recomendações clínicas do Ministério da Saúde da Rússia e da Organização Mundial da Saúde. A indução deve ser necessária.

O parto será chamado na maternidade neste momento, caso a criança esteja no estágio inicial de um distúrbio, de acordo com o CTG. A estimulação também é provável com a descarga ou vazamento gradual de líquido amniótico.

Muitas indicações, segundo as quais uma mulher grávida não pode ser deixada sozinha, para esperar um parto independente, requerem parto cirúrgico - cesariana (feto grande ou gigante com pélvis pequena, polidrâmnio acentuado e outros fatores).

A decisão sobre estimular ou não o nascimento, como ele ocorrerá - independentemente ou na sala de cirurgia, com a ajuda de cirurgiões, se não houver complicações - é tomada perto das 42 semanas de gravidez. Somente mulheres com patologias que complicam o início do trabalho de parto devem ir ao hospital entre 40 e 41 semanas. Isso geralmente é avisado por um obstetra-ginecologista em uma clínica pré-natal.

Se for tomada uma decisão para estimular o trabalho de parto às 41 semanas, eles geralmente usam o esquema clássico:

  • amniotomia (punção da bexiga fetal),
  • a introdução de "ocitocina" e antiespasmódicos para relaxar o colo do útero após 3 horas, se contrações independentes após uma punção da bexiga fetal não ocorreram.

Para estimular o parto em um hospital, podem ser usados ​​palitos de algas que são inseridos no canal cervical para sua expansão mecânica. Para preparar o colo do útero, géis hormonais são usados. É estritamente proibido estimular contrações com ocitocina, mifepristona e outras drogas com pescoço imaturo.

Na grande maioria dos casos, não há necessidade de estímulo nesta semana.

Várias décadas atrás, havia uma prática prejudicial em maternidades na Rússia - estimular o parto em quase todos os casos em que a data de nascimento indicada no mapa é deixada para trás. Quando calculamos e analisamos os indicadores de lesões de crianças e mulheres durante o parto, bem como o aumento do número de cesarianas de emergência, em nível estadual, decidimos abandonar essa prática.

Em risco

Quando há uma razão para pensar? Especialistas dizem que na maioria das vezes uma mulher está grávida de horas extras:

- com doenças endócrinas (função da tiróide, diabetes mellitus),

- tendo realizado abortos e doenças inflamatórias dos órgãos pélvicos,

- com um ciclo menstrual irregular,

- sofrendo de doenças do fígado, estômago e intestinos (enquanto os processos do metabolismo do estrogênio são interrompidos),

- observar o repouso no leito ou levar um estilo de vida sedentário (a cabeça do feto não afunda na pequena pelve e não irrita os receptores cervicais),

- experimentando forte estresse emocional.

Os fatores de risco também incluem gestose tardia, apresentação pélvica do feto, gravidez pré-termo, a idade da mulher primípara é superior a 30 anos.

Às vezes, dois métodos são recomendados para reduzir a probabilidade de atraso na gravidez, mas ambos têm certas desvantagens. O primeiro é o espasmo diário dos mamilos. No entanto, existe o risco de causar espasmos muito graves. O segundo é a separação manual da membrana fetal da seção inferior do útero. Isso deve ser feito por um médico. Mas muitos especialistas não recomendam a realização de tais ações, pois a membrana do feto pode rachar ou ocorrer infecção.

Como o parto começa e flui?

O sinal mais comum do início do trabalho de parto é dores de parto que indicam o início da abertura do colo uterino. As contrações verdadeiras são diferentes das falsas, elas procedem de maneira diferente.

  • Primeiro, as verdadeiras dores de parto são regulares, ou seja, são repetidas após um certo período, que diminui gradualmente com o tempo.
  • Em segundo lugar, a duração de cada luta verdadeira aumenta com o tempo e a dor em si se intensifica a cada vez. No início das lutas, sua frequência pode chegar a 20 a 30 minutos e a duração é de apenas alguns segundos. Gradualmente, o intervalo diminui para 3 minutos e a luta pode durar 1 minuto ou mais. Um cronômetro ajudará no reconhecimento de dores de parto, especialmente em caso de dúvida.
  • Em terceiro lugar, as sensações emocionantes não passam ao mudar a posição do corpo.
  • Quarto, podem aparecer dores lombares agudas na cintura e calafrios.
  • Descarga de água causada por ruptura da bexiga fetal. O líquido amniótico durante todo o período da gravidez é projetado para proteger o bebê dos efeitos do ambiente externo. Após a bolha estourar, a água pode jorrar ou vazar em partes.

Enquanto brigas fracas duram a longos intervalos, você pode tomar um banho, fazer uma depilação nas virilhas, verificar a disponibilidade de todos os documentos e objetos necessários em uma bolsa preparada com antecedência (ou coletá-la agora, se não tiver sido feita antes). Durante as contrações, é recomendável respirar com calma, é útil usar certas técnicas de respiração.

Se a água sair, não vale a pena duvidar que seu bebê nascerá em breve. Vá imediatamente para o hospital - quanto mais cedo você chegar lá, melhor, neste momento você precisa estar sob a supervisão dos médicos!

Exames necessários

Na 40ª semana de gravidez, os médicos raramente exigem que as pacientes sejam submetidas a exames adicionais na ausência de queixas e suspeitas. Comumente atribuído:

  • Análise geral de urina e sangue.
  • Coleta diária de urina.
  • CTG - para avaliar a condição do feto, fixando sua frequência cardíaca. Normalmente, a frequência cardíaca varia de 140 a 160 batimentos por minuto.
  • Exame de um ginecologista para determinar a maturidade do útero.
  • Exame ultrassonográfico - é realizado para excluir retardo de crescimento intra-uterino, emaranhamento do cordão umbilical, falta de oxigênio fetal. O método também permite determinar a quantidade de líquido amniótico, que é de 63 a 240 ml. Uma mudança em qualquer direção pode determinar o diagnóstico de oligoidrâmnio ou polidrâmnio.

Precursores do Parto

É possível que, no início da 40ª semana de gravidez, uma mulher já apresentasse sinais de parto próximo, como prolapso do abdome, desaparecimento da falta de ar e azia, aumento do desejo de ir ao banheiro, tendência à diarréia, aumento da dor na região lombar. Além disso, o estômago endurece cada vez mais, aparece dor no útero. Se os sintomas acima estiverem ausentes, isso deve alertar a gestante, pois, nesse caso, o feto pode estar sobrecarregado.

Um dia ou duas ou várias horas antes do início do trabalho de parto, podem aparecer sinais como um tampão mucoso, descarga de líquido amniótico, fezes moles (diarréia), micção frequente, aparecimento de primeiras contrações reais na forma de sensações dolorosas no abdome inferior. Se eles ocorrerem, você deve se apressar para o hospital, porque o parto pode começar muito em breve, especialmente em multíparas.

O segundo nascimento nas mulheres geralmente ocorre um pouco mais rápido desde o aparecimento dos precursores do que nos primíparos, porque o corpo já sabe como agir em tal situação para dar à luz um bebê com a menor quantidade de energia.

Ligue para ele

Seu bebê está com pressa? Não entre em pânico e confusão! Antes de tudo, preste atenção à saúde geral. Há inchaço, estagnação fluida no corpo. Caso haja desvios significativos da norma, consulte um médico - talvez você deva ir ao hospital com antecedência. Bem, se você se sentir bem, os testes são normais, então é melhor que mãe e filho fiquem em casa por um dia ou outra semana, na atmosfera usual. Não se apresse em ir ao hospital com antecedência com uma gravidez normal. Caso contrário, o médico começará a "apressar" o bebê com vários estimulantes, o que nem sempre é bom.

Vale a pena conferir como a placenta funciona. Afinal, este é o órgão mais importante através do qual ocorrem a respiração, nutrição e excreção de produtos metabólicos do feto. Durante a gravidez, a placenta passa por vários estágios de evolução: formação, crescimento, maturidade, envelhecimento, cada um dos quais desempenha certas funções. Além disso, a qualidade de seu "trabalho" determinará quão bem as necessidades da criança são atendidas.

Siga o poder - É melhor se agora for separado. Durante este período, não é recomendado em grandes quantidades carne, creme de leite, queijo cottage gordo, queijos maduros, farinha de fermento e produtos doces. É melhor mudar para um menu vegetariano não rigoroso. As articulações e os músculos envolvidos no parto se tornarão flexíveis e plásticos. Dos produtos, escolha frutas, frutas secas, mel, vegetais, cereais na água, cereais germinados, frutos do mar, nozes, verduras.

Continue fazendo exercícios de alongamento especialmente recomendado na preparação para o parto, faça exercícios conjuntos, aprenda a relaxar. Durante a gravidez, dois tipos de exercícios são muito importantes: desenvolvimento geral, que ajuda os músculos e outros tecidos a se prepararem para o parto, e aeróbico (respiratório), que fortalece o sistema respiratório e a atividade cardíaca.

Sirva-se de usar exercícios respiratórios. São caminhadas diárias ao ar livre, natação ou apenas procedimentos na água e exercícios de respiração. Eles ajudarão a se acalmar, relaxar e melhorar o suprimento de todos os tecidos e órgãos com oxigênio e nutrientes atmosféricos.

Não se esqueça de se comunicar com seu bebê - agora é muito importante. Ele sente e entende você, sente seu humor e humor para o parto, ouve e "avalia" o ritmo do seu coração, capta as vibrações da sua voz. Ligue para o bebê, convide, mas não se apresse. Deixe que ele escolha a hora do seu nascimento.

Quando o bebê está pronto para o nascimento, substâncias especiais começam a ser produzidas no corpo da mãe, que "iniciam" o processo. O parto ocorre em um determinado momento, independentemente do desejo da mãe ou das instruções do médico. Lembre-se de que a criança deve estar não apenas fisiologicamente madura, mas também psicologicamente pronta para o nascimento!

Fato 1: Estudos mostram que em 70% dos casos, a declaração de gravidez está incorreta.

Fato 2: Com uma verdadeira substituição, o ultrassom pode detectar uma diminuição na espessura da placenta, escassez relativa de água, tamanho fetal grande, contornos mais claros e espessamento dos ossos do crânio.

Fato 3: Após o parto, em 20 - 50% dos casos em crianças adiadas, são observados desvios do desenvolvimento normal.

Fato 4: Não se apresse em ir ao hospital com antecedência com uma gravidez normal. Provavelmente, o médico começará a "apressar" o bebê com vários estimulantes, o que nem sempre é bom.

Consultor: Tamara Panasevich, obstetra-ginecologista

É necessário causar especificamente um parto?

Como regra, se a 40ª semana de gravidez ainda estiver em andamento, a necessidade de estímulo especial ao trabalho de parto não surgirá, porque a criança ainda não foi considerada adiada. Mas, em alguns casos, os médicos tentam aproximar o parto, pois o bebê pode estar em perigo.

A necessidade de estimulação medicamentosa do trabalho de parto surge nos seguintes casos:

  • Polidrâmnio em uma mulher, devido ao qual é possível o fluxo prematuro de líquido amniótico, trabalho de parto fraco, desenvolvimento de hipóxia fetal, além do risco de sangramento imediatamente após o parto.
  • Reforçar os sintomas da gestose. Nesse caso, é necessário salvar não apenas o bebê, mas também a própria mulher, porque o risco de efeitos adversos se torna muito alto.
  • Saída de líquido amniótico, após o qual o trabalho de parto subsequente está ausente ou muito fraco.

A estimulação do trabalho de parto através do uso de drogas (ocitocina, papaverina (no-shpa), Pencrofton, mifepristona etc.) evitará o desenvolvimento de hipóxia fetal aguda. Para preparar o colo do útero para o parto, Ginipral é usado, bem como supositórios Buscopan.

A necessidade de provocar o parto de maneira livre de drogas, na ausência de dores de parto, também pode surgir em outros casos, mas, em qualquer caso, o médico deve primeiro estabelecer por que essa situação surgiu para tomar uma decisão informada.

A decisão de estimular o trabalho de parto é tomada pelos médicos, levando em consideração a condição da mulher e do feto. Freqüentemente, as próprias mulheres procuram a resposta para a questão de como causar o parto e recorrem a vídeos dedicados a esse tópico.

Em primiparas

A manifestação dos precursores do parto às 40 semanas de gestação pode ocorrer de maneira fraca e acentuada e fazer com que a futura mãe sinta desconforto. As mulheres primitivas podem confundir o início do trabalho de parto com o mal-estar habitual, uma vez que os primeiros sinais são geralmente suaves e discretos.

Precursores do parto, que os primíparos podem notar com 40 semanas:

  1. Prolapso abdominal - quando o bebê descansa na pélvis pequena e começa a puxar o útero para baixo. Devido a isso, a pressão nos pulmões e no estômago diminui, uma mudança na marcha, o desaparecimento da azia é notado.
  2. Dor na região lombar. Além disso, as pacientes com 40 semanas de gravidez geralmente reclamam que têm um estómago e formigamento na sínfise púbica.
  3. Lutas de treinamento que podem ser reconhecidas por irregularidades e comprimentos variados. Além disso, eles passam completamente indolor. Os médicos recomendam, neste caso, sentar-se ou deitar-se um pouco, se o desconforto desaparecer, as contrações serão falsas.
  4. Isolamento de uma rolha, que é um nódulo mucoso com manchas de sangue. Seu volume é de cerca de 2 a 3 cm.A descarga rosa antes do parto às 40 semanas também pode indicar que a cortiça está se afastando - quando uma pequena quantidade de sangue é separada, o muco fica rosado e não apresenta estrias no sangue.

Nota! Se a descarga ficar rosa ou vermelha após uma visita a um médico ou a uma relação sexual, isso pode indicar danos aos tecidos.

  1. Fluxo de líquido amniótico - pode ocorrer antes das próprias contrações e no estágio inicial das contrações uterinas. Normalmente, o líquido deve ter uma cor esbranquiçada ou transparente, mas com hipóxia fetal, torna-se esverdeado. Se, às 40 semanas, a água já passou e não há contrações, é necessário ir à maternidade, enquanto o primeiro ou o segundo nascimento não importa.
  2. Mudanças na postura devido a uma mudança no centro de gravidade: para manter a área de apoio, a gestante deve afastar levemente as pernas para os lados. Nas pessoas comuns, eles dizem que a marcha de uma mulher se torna um pato.
  3. Perda de peso de 1-1,5 kg, devido a uma diminuição no edema tecidual. Antes de dar à luz, o intestino também precisa ser limpo, portanto, neste momento, não apenas a micção, mas também os movimentos do intestino podem se tornar mais frequentes.
  4. Náuseas, vômitos e diarréia às 40 semanas geralmente ocorrem antes do nascimento, porque os intestinos devem ser completamente liberados quando a mulher dá à luz. Os órgãos reprodutivos, neste caso, tornam-se elásticos e preparados para a passagem da criança através do canal do parto. Por outro lado, esses fenômenos podem ser sinais de distúrbios dispépticos em caso de envenenamento ou consumo excessivo.
  5. Amadurecimento cervical. A questão que preocupa muitas mulheres grávidas é quando dar à luz se o colo do útero estiver mole às 40 semanas. Se for encurtado, suavizado e colocado ao longo do eixo longitudinal da pelve, o parto poderá ocorrer dentro de uma semana.

Nota! Com um exame vaginal, o médico pode determinar a distensão cervical na parte superior, onde o feto fica ao lado. A parte estreita é de 1 a 2 cm, considerado um pescoço maduro e preparado para o processo de nascimento.

É possível causar contrações por conta própria?

Se a criança não tem pressa de nascer, ela tem certas razões para isso. A questão da auto-estimulação é bastante duvidosa. É claro que a mulher está muito cansada de carregar um fardo pesado, mas resta muito pouco, portanto será mais correto esperar até que as contrações iniciem por conta própria. Até 42 semanas ainda são muito demoradas.

Em questões de estímulo independente do trabalho, a medicina tradicional teve mais sucesso que outras. Ela instrui as mulheres a beber uma decocção de folhas de framboesa, roseira, a fim de aproximar a entrega. Você também pode fazer sexo, a menos que, é claro, o tampão mucoso ainda esteja no lugar e não haja outras contra-indicações.

Os obstetras recomendam mover-se mais, fazer ginástica leve e, o máximo que puder, fazer tarefas simples que não estejam associadas a cargas excessivas.

Em multíparas

Os precursores do trabalho de parto em partos multíparos geralmente ocorrem um pouco mais rapidamente. No nascimento, a cabeça do bebê expande o colo do útero, tornando-o flexível e elástico, de modo que o segundo e subsequente nascimento às 40 semanas é mais rápido. Se nas mulheres que dão à luz pela primeira vez, o pescoço se abre de 6 a 12 horas, e isso é acompanhado por graves contrações dolorosas, em mulheres multíparas esse processo é muito mais fácil e leva de 3 a 7 horas. A mãe “com experiência” deve lembrar que a dor não é uma companhia obrigatória para o nascimento repetido e, portanto, quando os primeiros precursores são descobertos, é necessário ir ao hospital.

Os precursores do trabalho de parto em multíparas 40 semanas após a cesariana planejada anterior procedem da mesma maneira que no primogênito. Como o bebê não passou pelo canal do parto, o colo do útero não conseguiu se esticar adequadamente. No parto cirúrgico de emergência, depende muito das características da passagem e do período do parto, quando foi decidido fazer uma cesariana.

Se o intervalo entre os nascimentos for superior a 10 anos, podem ocorrer sinais de parto com 40 semanas de gestação duas semanas antes do parto. Durante esse período, o corpo feminino “conseguiu esquecer” os processos vivenciados e se recuperou totalmente.

Na segunda, terceira e subsequente gravidez, às 40 semanas, o parto ocorre mais cedo: os músculos e o colo do útero já estão esticados e toleram facilmente o processo familiar. E como as mulheres com nascimentos múltiplos são autoconfiantes e autoconfiantes, suas explosões emocionais são muito menos comuns. Mesmo ao abrir com um dedo, quando o parto não pode ser dito com precisão, eles podem ocorrer tanto às 40 semanas quanto aos 10-14 dias. Com um grau insuficiente de maturidade do útero, é utilizada a preparação de drogas usando prostaglandinas artificiais.

Nota! Se a 40ª semana de gravidez já passou e não há precursores do parto, isso não é tão assustador. Os sintomas podem ocorrer alguns dias e algumas horas antes do parto.

Comentários

Segundo as mulheres, a maneira mais eficaz de gerar trabalho de parto nesse momento é o sexo. Depois de um fim de semana "produtivo" passado com o cônjuge, muitos em um dia vão ao hospital com dores de parto que começaram.

De acordo com as revisões daqueles que deram à luz exatamente 41 semanas, as crianças não mostraram sinais de sobrecarga, hipóxia e problemas.

Normalmente, as mulheres percebem uma gravidez prolongada como uma gravidez adiada, portanto, em suas avaliações, são bastante emocionais.

Um estado psicológico calmo e calmo e um pouco de paciência - é exatamente isso que é necessário para esse período.

Você pode encontrar mais dicas para mulheres grávidas que ainda não deram à luz às 41 semanas no próximo vídeo.

médico observador, especialista em psicossomática, mãe de 4 filhos

Por que o nascimento não começa na semana 40?

Acontece que a gravidez dura 40 semanas e o parto não começa. Isso geralmente acontece pelos seguintes motivos:

  1. Data de entrega incorreta. Nas mulheres com um ciclo menstrual curto (23 a 25 dias), o trabalho de parto pode começar mesmo antes da hora marcada. Se o ciclo exceder 28 dias, é provável que a criança queira ficar um pouco mais na barriga da mãe. Nesse caso, a estimulação do trabalho de parto por um período de 40 semanas será supérflua.
  2. Abortos previamente transferidos.
  3. Doenças do sistema digestivo e endócrino na futura mãe.
  4. Fator hereditário - se a mãe de uma mulher grávida deu à luz entre 40 e 42 semanas.
  5. Falhas no sistema endócrino, desequilíbrio hormonal.
  6. Peso de fruta grande (de 4 quilogramas).
  7. Estilo de vida sedentário da mãe.
  8. Maré baixa. Se o líquido amniótico é escasso, eles exercem pressão insuficiente sobre o colo do útero, pelo que sua abertura diminui.
  9. Apresentação pélvica (quando o bebê está sentado sobre o padre).
  10. Se, após 40 semanas obstétricas de gravidez, o parto não ocorrer, a causa pode ser distúrbios psicológicos. Na maioria das vezes, elas são a falta de vontade da mulher grávida de ter um bebê, o medo do parto.

Quando é necessário chamar uma ambulância?

Chame urgentemente uma ambulância e vá ao hospital é necessário em casos como:

  • Uma saída de líquido amniótico.
  • A descoberta de sangramento.
  • Contrações, especialmente se o intervalo entre elas diminuiu para 10 minutos.
  • Uma deterioração acentuada na condição da mãe expectante: desmaios, tonturas, vômitos, dor de cabeça.
  • Dor abdominal aguda.
  • A criança não se mexe por muito tempo ou, pelo contrário, tornou-se muito ativa.
Para dor intensa, procure atendimento médico.

Possíveis consequências

Em geral, mesmo que o parto não comece às 40 semanas, isso é considerado não um processo patológico, mas um fenômeno completamente normal. Mas, às vezes, um aumento no termo pode afetar negativamente não apenas a saúde da mulher, mas também o feto. Possíveis consequências podem ser:

  • A gestose é uma complicação da gravidez em que há uma violação do suprimento sanguíneo de tecidos e órgãos, o que leva a falhas no funcionamento. Os mais afetados são as células do fígado, rins e cérebro. O suprimento inadequado de sangue para a placenta pode provocar secreção prematura, bem como sangramento, falta de oxigênio no feto.
  • Hipóxia - saturação insuficiente dos tecidos e órgãos da criança com oxigênio. Em um estado hipóxico na forma aguda, por exemplo, quando um cordão é preso ou um cordão é derrubado, uma cesariana é prescrita. Se o feto tem hipóxia crônica, surge a questão de como acelerar o início do trabalho de parto na 40ª semana de gestação, uma vez que a falta de oxigênio pode levar a consequências extremamente graves.
  • Compactação dos ossos do crânio da criança - por causa da qual a cabeça do bebê não poderá mudar de forma ao se mover pelo canal de parto, o que aumenta a probabilidade de um processo de parto prolongado, o aparecimento de lesões e hipóxia no feto.
  • Dor abdominal. Durante a gravidez às 40 semanas, o abdômen é pedregoso (por exemplo, com falsas contrações) e um pouco dolorido, mas não deve haver dor aguda.
  • Síndrome de aspiração de mecônio - um distúrbio respiratório em uma criança, provocado pela penetração de massas de mecônio no trato respiratório e obstrução do lúmen dos brônquios.
  • Sangramento vaginal.

Para evitar complicações, a mulher deve medir a pressão arterial diariamente, fazer um exame de urina e realizar o CTG registrando a freqüência cardíaca fetal e as contrações uterinas. Se houver suspeita de patologia, a futura mãe vai ao hospital com 40 semanas de gestação, onde o médico decide se deve estimular o nascimento ou o processo ocorrerá naturalmente.

Quando você precisa estimular o trabalho de parto?

Se o primeiro ou o segundo nascimento não começar na 40ª semana de gravidez, não há nada de errado nisso. O bebê nascerá quando já estiver completamente pronto para a vida fora da barriga da mãe.

Mas às vezes, às 40 semanas, é simplesmente necessário acelerar o processo de nascimento, isso acontece em circunstâncias como:

  • Sinais pronunciados de uma gravidez adiada.
  • Gravidez múltipla ou polihidrâmnio, na qual aumentam os riscos de trabalho de parto fraco e hipóxia do feto.
  • Fortalecer os sintomas da gestose - em tais condições, provocar o início do trabalho de parto na semana 40 é simplesmente necessário, porque, se surgirem complicações, os médicos precisarão salvar a vida não apenas da mãe, mas também da criança.
  • Patologias graves em mulheres associadas ao trabalho do coração e dos rins.
  • Falta de trabalho de parto após a passagem de líquido amniótico às 40 semanas - em muitas maternidades, a mulher recebe um tempo de até 12 horas, e somente depois disso é a estimulação do trabalho de parto ou cesariana.
Em alguns casos, a estimulação do trabalho de parto pode ser necessária.

Qual é o perigo da estimulação do trabalho de parto?

Qual é o perigo de estimulação do trabalho de parto em 40 semanas? A intervenção no processo fisiológico pode ter consequências negativas:

  • Contrações mais dolorosas - pode ser necessária anestesia peridural.
  • Posição inconveniente da mulher no parto durante o parto. Os medicamentos são administrados através de um conta-gotas, a própria mulher deve mentir constantemente e ter movimentos limitados.
  • Hipóxia no feto.

Obviamente, a melhor opção é dar à luz naturalmente, mas se o médico acredita que eles devem ser acelerados em 40 semanas, você não deve recusar o procedimento proposto. O obstetra escolherá os medicamentos certos e decidirá qual método de estimulação é melhor para a mulher.

Como causar o parto com 40 semanas de gestação?

Com 40 semanas de gravidez, a estimulação é realizada apenas com indicações claras, para que uma mulher possa dar à luz mais rapidamente, são utilizados os seguintes métodos:

  • Amniotomia. Durante o procedimento, o médico perfura a bexiga fetal com uma ferramenta especial, como resultado do qual o líquido amniótico flui e a cabeça começa a se mover ao longo do canal do parto. A manipulação em si é rápida e indolor.
  • A introdução da ocitocina (um análogo do hormônio sintetizado pelo hipotálamo) é realizada por via intravenosa ou por gotejamento. É prescrito se o trabalho de parto estiver ausente ou as contrações começarem a desaparecer. Um efeito colateral pode ser o aumento da dor no parto e uma poderosa contração uterina, que aumenta o risco de hipóxia fetal. Portanto, a introdução deste medicamento deve ser realizada em quantidades estritamente limitadas.
  • O uso de prostaglandinas. Os hormônios contribuem para a abertura e o amolecimento do colo do útero. Usado na forma de um gel ou comprimidos, que são absorvidos na garganta uterina. Após o uso do agente, as contrações começam após 3-4 horas, na ausência de um resultado positivo, após 6 horas o procedimento é repetido. Essa estimulação é muito leve, praticamente não tem efeitos colaterais e não afeta negativamente o feto.

Para estimular o parto com 40 semanas de gestação usando prostaglandinas por conta própria, você precisa fazer sexo com seu amado marido com mais frequência - no esperma masculino, esses hormônios estão contidos em espécie.

Nota! Existem outros métodos para estimular o trabalho de parto, mas eles raramente são usados.

Como acelerar o parto na semana 40?

Como uma mãe solteira não quer usar estimulação artificial do trabalho de parto, a mulher nesse momento levanta a questão: o que fazer para dar à luz com 40 semanas de gravidez? Primeiro de tudo, você precisa visitar um médico e certificar-se de que o bebê conseguiu rolar e tomar a posição correta. Se o bebê está pronto para ver a mãe há muito tempo, você pode usar os seguintes métodos:

  1. Atividade física. Recomenda-se andar mais, mover-se, subir e descer as escadas, você também pode realizar uma limpeza geral e, ao mesmo tempo, preparar um "ninho" para o bebê. Nesse caso, não é necessário excesso de trabalho: isso pode levar ao descolamento da placenta.
  2. Intimidade sem camisinha. A composição do espermatozóide masculino inclui prostaglandinas, que amolecem e expandem o colo do útero. O sexo às 40 semanas de gestação pode levar a uma forte contração do útero e provocar trabalho de parto.

Importante! Você não pode fazer amor se a água tiver passado - isso pode levar à infecção.

  1. Exercícios para acelerar o parto com 40 semanas de gestação. O programa inclui: agachamento, balanço suave do estômago, caminhada, agachamento. Este método permite preparar o colo do útero e aproximar a cabeça do bebê da "saída".
  2. Coma alimentos ricos em fibras: maçãs, beterrabas, salsa, couve, ameixas.
  3. Mamilos de massagem. Torça os mamilos por 2 minutos com o polegar e o indicador, faça uma pausa, vá para outra glândula. Então comece de novo. Durante o procedimento, é produzida ocitocina, o que ajuda a estimular as contrações uterinas. A massagem deve ser realizada por 20 minutos, três vezes ao dia.
  4. Estimulação intestinal. O óleo de mamona provoca cãibras intestinais e tonifica o intestino, o que por sua vez leva a contrações. Para conseguir o efeito, você precisa beber 1 colher de sopa. l de óleo, que pode ser diluído com suco de maçã ou laranja espremido na hora.

Importante! Não é recomendável tomar banho nos estágios posteriores - isso pode levar à infecção do trato genital e ao aparecimento de candidíase.

Folhas de framboesa

Além disso, às 40 semanas, você pode chamar o parto com remédios populares, o mais comum é tomar uma decocção de folhas de framboesa. Alisa e suaviza o colo do útero, preparando-o para o parto e estimula a atividade uterina.

Para preparar o produto, despeje 1 colher de chá de material vegetal 200 ml de água, coe e insista por 30 minutos. Às 40 semanas, são permitidas 4 xícaras por dia. Se uma mulher estiver pronta para o processo de nascimento, a decocção deve ser tomada quente.

Se a atividade laboral não começar na 40ª semana de gravidez ou se não houver precursores do parto, isso é bastante normal. Somente um médico pode determinar se a estimulação é necessária em um determinado momento após o exame e um exame cuidadoso dos resultados dos exames. Para acelerar o início do parto, uma futura mãe pode usar remédios "caseiros" seguros.